SEU FILHO É HIPERATIVO?

 

Mas, afinal, quando é necessário procurar ajuda? Como saber se a criança tem ou não TDAH?

Uma característica muito comum à infância é a explosão de energia. Sem dúvida é um momento da vida que pular, correr, gritar, se mexer…são atividades que acontecem com muita frequência. Mas e quando nota-se que toda essa ‘explosão energética’ está passando do limite, ficando fora de controle e sendo prejudicial a criança?

Não é raro a percepção de que crianças extremamente ativas, totalmente inquietas apresentam dificuldade de concentração e por conta disso, comprometem o processo de aprendizagem e até os relacionamentos. Assim pais entram em um certo desespero, já que em diversas situações os filhos são rotulados como rebeldes, mal educados, impossíveis e em muitos casos passam a ser isolados pelo grupo.

A partir de investigação e acompanhamento profissional pode se encontrar o diagnóstico da Hiperatividade, o tal TDAH. Para nos ajudar a entender esse transtorno a Dra Raquel Luzardo da Clínica FONOTERAPIA explica TDAH:

 

OTDAH é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente acompanha a pessoa por toda a vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade.
NA ESCOLA

Muitas vezes os sintomas passam despercebidos para os pais, mas quando a criança entra na escola e necessita permanecer muitas horas parada e atenta a uma só atividade, esses sintomas se tornam mais evidentes e consequentemente as queixas escolares se tornam constantes.
 Toda a imaturidade neurológica pode causar atraso de linguagem, trocas e omissões de fonemas e dificuldades escolares, entre elas estão a Dislexia, que é um distúrbio específico da leitura, caracterizado pela dificuldade ou incapacidade de decodificar (compreender) palavras escrita, e a Disgrafia, que é um comprometimento específico do desenvolvimento da escrita, mais precisamente na qualidade dos traçados das letras (letra feia) e Disortografia, onde a criança escreve nos espaços certos, a caligrafia é clara, porém cheia de erros ortográficos. Em crianças, é comum a queda no rendimento escolar por causa de desorganização e da falta de paciência para assistir às aulas e estudar.

 

DIAGNÓSTICO

Para efeito de diagnóstico, que é sempre clínico, os sintomas devem manifestar-se na infância, antes dos sete anos, pelo menos em dois ambientes diferentes (casa, escola, lazer), durante seis meses, no mínimo. Devem também ser responsáveis por desajustes e alterações comportamentais que dificultam o relacionamento e a performance dos portadores nas mais diversas situações.

 

TRATAMENTO

Muitas vezes ele é confundido com outros problemas ligados ao comportamento. Primeiramente, é importante saber que para identificá-lo é necessário o diagnóstico profissional.

 

No tratamento fonoaudiológico, o trabalho com a fala é realizado simultaneamente com estratégias que ajudam muito a criança  com TDAH como: esperar sua vez nas atividades, não interromper os outros, ficar atenta e se concentrar no que está fazendo,  controlar a tagarelice excessiva, ouvir a pergunta antes de responder,  aprender a seguir instruções e ordens,  terminar cada atividade  antes de  iniciar outra, brincar em silêncio e tranquilamente,  aprender a se organizar, planejar e direcionar a criatividade.O tratamento é realizado também em conjunto com a terapia ocupacional, psicomotricidade, psicóloga e neuropediatria, é um trabalho multidiciplinar.

Inúmeras pessoas com TDAH prosseguem suas vidas e algumas até se destacam na sociedade. Foi o caso de famosos como Albert Einstein, Mozart e John Kennedy.Mas é importante também ficar atento a algumas ações que podem colaborar para que melhor se lide com o TDAH, como fazer exercícios físicos, usar o relógio biológico em favor de si mesmo, aceitar as limitações e estabelecer prioridades. No caso das crianças, é fundamental o acompanhamento amoroso e educativo dos responsáveis.

 

Raquel Luzardo, fonoaudióloga, especialista em linguagem, diretora da Clínica FONOterapia, atua há mais de 16 anos em atendimento infantil, orientação familiar e assessoria escolar.

Esclarecedor né? Ficou com dúvida? Manda pra gente.

Beijos

Renata Chiarello

 

Renata Chiarello

Oi, eu sou Renata Chiarello mãe da B. Uma mãe que alterna loucura e equilíbrio (afinal qual mãe não é assim, né?). Uma mãe que quer desvendar e mostrar o mundo. Uma mãe que descobre todos os dias, de diferentes formas, as maravilhas e dificuldades que a maternidade traz.

Related Posts

Comentários sobre este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *