QUANDO PROCURAR A EMERGÊNCIA COM CRIANÇAS?

Em que situações devemos procurar a emergência dos hospitais com as crianças

Devo confessar sempre tive receio, pra falar a verdade até medo mesmo de enfrentar as emergências dos hospitais com a Betina. Talvez por ter trabalhado tantos anos em ambiente hospitalar e saber que todo tipo de doença rola nas recepções (normalmente pequenas e sem circulação de ar) dos hospitais. Mas existem situações que são urgentes e ir para esses lugares é inevitável.

Para nos tirar a dúvida do momento certo, de quando devemos procurar as emergências com as crianças, Dra Fernanda Catharino, pediatra de Niterói que escreve o Blog COLO DE PEDIATRA, nos escreve.

Olho no que ela diz:

Muitas mães há algum tempo já me pedem esse post. Sempre tive uma certa resistência em escrever sobre o assunto. Afinal, ele não deixa de ser polêmico! Penso de forma humanizada. E isso define minha vida como mãe e como Pediatra. Acho que para dizer a uma mãe que ela não precisa ir a Emergência com seu filho com uma febre que começou agora, ela precisa ouvir isso do Pediatra que ela confia e escolheu para acompanhá-los. Não gosto de paciente meu em Emergência por conta própria da mãe. Gosto desse contato prévio com a família. Acho fundamental! É uma troca de confiança! Como sempre falo: uma grande parceria! As Emergências estão lotadas! De segunda a Segunda. 24 horas. Muitos, e até mesmo a grande maioria, não caracterizam quadros emergenciais de fato. E o que fazer? Como fazer? Como orientar? Expor a criança? Desanimador! 😞
Vou listar aqui alguns pontos que julgo importantes na hora de avaliar uma ida à Emergência com uma criança:
✔Faça contato com seu Pediatra assistente antes de se dirigir à uma Emergência SEMPRE! (Ou pelo menos tente…..)
✔Lembre-se: É proibida a prescrição de medicamentos específicos por meio de telefone, audios, mensagens sem avaliar a criança. Não é má- vontade do seu Pediatra…….
✔Não espere sair da Emergência com um diagnóstico fechado!
✔Não vá para Emergência por motivos ambulatoriais.
✔Entenda que, ao chegar numa Emergência, várias crianças estão ali muitas das vezes pelo mesmo motivo que você.
✔A tosse do seu filho pode não ser uma prioridade naquele setor, naquele local, naquele momento, obedeça a triagem.
✔Cada lugar organiza sua Emergência de uma forma, mesmo que isso não te agrade naquele momento.
✔Não deixe de medicar seu filho pra febre em casa. Ninguém vai achar que você está inventando uma febre.
✔Informe ao Pediatra da Emergência sempre que seu filho TEM PEDIATRA ASSISTENTE, que a orientou estar ali. Isso facilita até mesmo um contato para uma conduta em conjunto.
✔Acidentes, cortes, crises convulsivas, queimaduras extensas, perda de consciência, vômitos incoercíveis, falta de ar grave, febre que não cede com uso de antitérmico oral em casa são exemplos de indicação de ida à Emergência.
✔Lembre-se: exames de rotina NÃO SÃO EXAMES DE EMERGÊNCIA!
✔Ao sair, faça contato com seu Pediatra assistente.
✔A revisão do quadro que te levou à Emergência deve ser feita com seu Pediatra assistente!
✔Sim, toda criança deve ter um Pediatra Assistente. Em qualquer idade!

 

Dúvidas? Qualquer coisa manda pra gente!

Beijos

Renata Chiarello

Renata Chiarello

Oi, eu sou Renata Chiarello mãe da B. Uma mãe que alterna loucura e equilíbrio (afinal qual mãe não é assim, né?). Uma mãe que quer desvendar e mostrar o mundo. Uma mãe que descobre todos os dias, de diferentes formas, as maravilhas e dificuldades que a maternidade traz.

Related Posts

Comentários sobre este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *