Nós tentamos, tentamos até desistir…então conseguimos

renata-bruno

Se começar dizendo que vou contar minha história, já vou começar mal pois vai ser uma inverdade (essa palavra é bem mais bonita que mentira, né?). Impossível contar tudo em um post só. Vocês não teriam paciência e tempo pra ler tudo. Achei melhor fragmentar…kkk

Não posso dizer que sempre tive o sonho de ser mãe. Pra ser bem sincera esse nem era meu plano maior de vida. Eu até me assustava com a idéia de ter alguém dependendo de mim pra tudo. Mas aí o senhor tempo foi passando, eu amadurecendo, a casa ficando grande, a família cobrando (aff!!!) e uma luz bem pequenininha começou a se ascender dentro de mim.

Como um passe de mágica a tal “luzinha ” virou holofote e estava eu completamente enlouquecida por uma barriga bem grandona com um, dois, três bebês dentro (3….kkkkk, completamente sem noção).

Pronto…tinha dado ‘start” a nossa jornada de 6 anos de busca incansável pela gravidez. Olha, eu podia dar aula de como engravidar. Sabia como fazer menino, menina, gêmeos. Daria palestra sobre o assunto se me pedissem, era verdadeira expert em engravidar…..eu só nao conseguia era ficar grávida de fato. Todas as teorias foram colocadas em prática. Namorar já era quase um jogo com regras, contagem de tempo e posição. Estava começando a ficar difícil.

Os fóruns de internet, grupos de facebook, amigos, dicas, palpites….nada disso dava conta da nossa questão. Solução: ajuda médica. E foram muitos, hein?!…E tratamentos? E ultras seriadas? Perdi a conta….realmente estava ficando bem difícil, cansativo, estressante, torturante eu diria.

Mas ainda sim nós tínhamos força pra tentar e fomos em frente. Partimos, então, para a FIV (fertilização in vitro)…Mas essa detalho outro dia. Adivinhem? Não não foi dessa vez. Beta negativo.

É estava reconhecidamente difícil, cansativo, estressante, torturante, caro e impossível de continuar. Não dava mais! Aquela força, aquele holofote, aquela luzinha sabe? Foi se apagando lentamente e dando lugar a uma pontinha de tristeza, angústia e sofrimento.

Assim em um momento nosso, só nosso, durante uma viagem longa, distante de casa, de família e amigos, nós que estávamos com o coração apagado resolvemos para de tentar. Dar um basta. Resolvemos desistir.

Ainda bem que Deus não desistiu da gente. Mas essa é conversa pra outro post….

 

Renata Chiarello

Oi, eu sou Renata Chiarello mãe da B. Uma mãe que alterna loucura e equilíbrio (afinal qual mãe não é assim, né?). Uma mãe que quer desvendar e mostrar o mundo. Uma mãe que descobre todos os dias, de diferentes formas, as maravilhas e dificuldades que a maternidade traz.

Related Posts

6 Discussion to this post

  1. Alessandra Bandeira disse:

    Amiga, tá lindo o site!!!
    Amei!!
    Parabéns!! Vou acompanhar sempre!! Estamos juntas nessa!!
    Bjs

  2. Rê,
    Site lindooooo e a história de vcs mais linda ainda. Faz todo sentido a B ser chamada de “milagrinho”. Deus nunca desiste de seus filhos. Parabéns pela história emocionante!
    Parabéns pelo site. Isso é só o começo!
    Conte comigo!
    Beijos

  3. Ale Varela disse:

    A historia de vcs é inspiradora. Parabéns pela história e pelo site que está lindo, bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *