INFERTILIDADE MASCULINA x IDADE

A possibilidade de  infertilidade foi um monstro que passeou durante anos na nossa casa. Foram inúmeros exames e tentativas até chegarmos ao nossso milagrinho.  E sempre tivemos claro que investigar era a melhor maneira de exterminar esse “monstro” e a partir de resultados lutar para alcançar nosso desejo ter um/a filho/a. De fato as questões são sempre mais ligadas à mulher, mas o pai da B sempre esteve ciente da sua participação nesse processo de busca pelo motivo de demora da gravidez.

Muitos homens se negam a exames, acreditam ser impossível ter algum “problema” com fertilidade. Mas inúmeras pesquisas relatam um aumento da queda de fertilidade masculina relacionado a várias questões como nos explica o Dr Silvio Pires.

 

De acordo com Silvio Pires, urologista da Criogênesis, de fato a idade interfere na fertilidade do homem, mas de maneira menos incisiva que na mulher. “Diversos estudos indicam que, conforme o homem vai ficando mais velho, a testosterona (hormônio sexual masculino) vai diminuindo.  No entanto, na grande maioria dos casos, essa queda não altera a fertilidade, apenas a frequência de espermatozoide produzido e a quantidade de líquido ejaculado, mas nada que seja tão significativo a ponto de deixá-lo infértil”, esclarece.

O especialista ainda comenta que, apesar da infertilidade masculina ser desconhecida na maioria das vezes, o uso de drogas e álcool são indutores. “Outros fatores também podem desencadear o problema, como por exemplo, a exposição a substâncias tóxicas, como medicamentos usados em quimioterapia e a radiação ionizante. Além disso, infecções que levam à inflamação dos testículos também podem estar envolvidas, como exemplo a varicocele, outra importante causa de alteração da função testicular”, informa.

PRESERVAÇÃO DA FERTILIDADE

Para os homens que preferem postergar a paternidade, uma opção para impedir que as mutações genéticas interfiram em uma gestação é o congelamento de espermatozoides. “As amostras são congeladas em um meio crioprotetor – que impede a formação de cristais e reduz os danos que o congelamento causa às células – e mantidas em nitrogênio líquido à temperatura de -196ºC, podendo permanecer congeladas por tempo indeterminado”, explica Dr. Silvio.

A técnica também é muito indicada para pacientes oncológicos. “Tumores no testículos, linfoma, leucemia ou outros tipos de câncer podem causar alterações na produção de espermatozoides ou mesmo alguma lesão à função testicular, também interferindo na fertilidade. Portanto, é imprescindível congelar o material antes de iniciar o tratamento, pois este sêmen pode, com consideráveis taxas de sucesso, ser utilizado futuramente para tratamento de reprodução assistida (inseminação intrauterina ou fertilização in-vitro (FIV)) possibilitando a paternidade” finaliza o urologista.

Vale a pena sempre procurar um médico especialista e conversar sobre possibilidades de tratamento. O urologista é um profissional capacitado pra tratar todas essas situações acima e propor um protocolo a ser seguido. Informação é tudo!

 

Interessante esse assunto né? Se você conhece alguém que está passando pela possibilidade da infertilidade ou ainda pela possibilidade de protelar a paternidade, compartilha essa informação do dr Silvio Pires. Você também pode encontrar maiores informações no site da Criogênesis.

 

Renata Chiarello

Oi, eu sou Renata Chiarello mãe da B. Uma mãe que alterna loucura e equilíbrio (afinal qual mãe não é assim, né?). Uma mãe que quer desvendar e mostrar o mundo. Uma mãe que descobre todos os dias, de diferentes formas, as maravilhas e dificuldades que a maternidade traz.

Related Posts

Comentários sobre este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *