FONOTERAPIA PARA BEBÊ

Saiba quando bebê precisa de fonoterapia
Nós como mães somos eternas ansiosas né? Estamos sempre esperando pela próxima fase de desenvolvimento dos nossos bebês. É bem normal essa ansiedade tirar nosso sono quando algo aparentemente não acontece da forma como esperamos. O andar e o falar dos bebês são marcos muito importantes e que devem ser olhados com muita atenção e carinho por nós. Alguns problemas de desenvolvimento motor e de fala podem ser diagnosticado precocemente o que vai ajudar muito no futuro da criança.

Hoje a nossa parceira querida, fonoaudióloga, responsável pela clínica FONOTERAPIA, dra Raquel Luzardo nos explica a importância do fonoterapia para bebê. Veja o que ela nos diz:

Seu bebêzinho ainda não fala e pode parecer muito pequeno para precisar de um fonoaudiólogo, mas alguns problemas que podem ser tratados precocemente são capazes de prejudicar o desenvolvimento da fala do seu filho lá na frente.

É muito comum me perguntarem com espanto: “você atende bebê?!” ou então: “ele é tão pequeno e ainda nem fala… o que faz na fono?”, mas em alguns casos é necessário um trabalho fonoaudiológico com o bebê ainda pequenininho.

Para identificar esses problemas, fique atenta na hora da amamentação. A sucção do leite deve estar integrada à respiração e à deglutição. Esses três fatores precisam estar em equilíbrio para que tudo corra bem. O bebê fica cansado depois de mamar e não faz pausas para respirar? Engasga com frequência e fica irritado? O leite escapa pelas laterais da boca? Se isso acontece, a fono pode ajudar. Pode ser que a dificuldade para mamar seja decorrente da língua presa, que acontece quando o frênuloda língua é curto. Ou ainda de uma incoordenação da sução-respiração-deglutição e aí é preciso exercícios para que o bebê consiga mamar melhor. A amamentação correta fortalece e estimula o crescimento da musculatura do rosto, além de preparar o seu filho para receber os alimentos sólidos. E esses músculos são os mesmos utilizados para a fala.

Depois da fase da amamentação, a mastigação de alimentos sólidos é fundamental para dar continuidade ao desenvolvimento muscular. Por isso, não é recomendado bater a papinha no liquidificador nem passar na peneira. O ideal é amassar os alimentos com o garfo, mantendo-os separados. Assim, a criança exercita a musculatura orofacial e ainda descobre novos sabores. Auxiliar nas dificuldades de mastigação ou na transição para a alimentação sólida também é um papel da fono.

Outro  ponto que devemos prestar atenção é a audição do bebê. Se ele não reconhece a voz da mãe ou não reage a sons fortes como quando o telefone toca ou quando a porta bate, é importante ficar atento. Se o bebê está muito quieto e não chora, pode ser indício de que não está ouvindo.

Quanto mais cedo for detectado o problema, mais fácil será o tratamento! (Raquel Luzardo)

Ficar atenta é sempre a melhor opção…. Ficou com dúvidas? Manda pra gente.

Beijos

Renata Chiarello

 

 

Renata Chiarello

Oi, eu sou Renata Chiarello mãe da B. Uma mãe que alterna loucura e equilíbrio (afinal qual mãe não é assim, né?). Uma mãe que quer desvendar e mostrar o mundo. Uma mãe que descobre todos os dias, de diferentes formas, as maravilhas e dificuldades que a maternidade traz.

Related Posts

Comentários sobre este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *