FIM DA LICENÇA MATERNIDADE: hora de retornar

O fim da licença maternidade, a hora de voltar ao trabalho é um momento sempre delicado para as mamães. 

Quatro meses ou no máximo seis, é o que temos direito, nós mães, a ficar com os nossos bebês logo após o parto. Isso se não foi preciso pegar a folga alguns dias antes de dar a luz. Mal engravidamos e já começamos a fazer as contas de quanto tempo de fato a licença maternidade nos dará.

Antes de viver essa licença, eu até tinha  a sensação de que  era um tempo legal, o bastante para as coisas se organizarem…aff, não pra todo mundo. O pós parto é um momento muito especial e por vezes difícil para muitas mulheres. Hormônios em colapso, um ser totalmente dependente morando em nossa casa, rotina e vida completamente alteradas. Pode acreditar para muitas, 4 ou 6 meses não são suficientes pra se encontrarem nessa nova realidade. Ser mãe é um processo e a licença maternidade é só uma fase, um passo na caminhada  da construção de um  nove ser, o ser mãe.

Mas, ainda que pareça ou soe estranho, 4 meses de licença maternidade pode ser tempo demais para outras recém mães, e eu me enquadrei nesse time. Sempre trabalhei no universo corporativo, com muita atenção a minha carreira. Esperei muito pela maternidade e ela chegou quase que me enlouquecendo. Voltar ao trabalho parecia uma carta de alforria. Louco isso? Forte? Sim, pode ser mas foi exatamente isso que sentia.

Queria ver gente, cumprir minhas funções, sair da roda gingante que a maternidade havia me colocado. Saía às 7h30 para o trabalho e quando o relógio marcava  18h eu pensava: mas já? Ah, será que eu não amava minha filha? Claro que sim, mais até que a mim mesma…mas confesso que demorei pra entender esse amor (mas pra esse assunto a gente precisa de um post exclusivo, é muito sério e precisa de atenção especial).

O fato é que o retorno ao trabalho acontece de várias formas e intensidades. Somos mães todas iguais e também todas diferentes. Cada uma com seu jeitinho de encarar as situações que surgem logo que os filhos chegam.

Eu não chorei, mas vi no trabalho várias amigas que também estavam retornando de olhos vermelhos e inchados. Por vezes até me senti mal por estar “tão bem”…mas entendi que cada uma vai reagir de uma forma. Por isso a importância de não se cobrar tanto e se ouvir. E ainda, se precisar de ajuda (podendo ser até mesmo um ombro amigo), não exitar em buscar.

O mundo corporativo é muito cruel com as mulheres, em especial com as recém mães. Se possível prepare-se para esse momento. Cerque-se de uma rede de apoio ativa, atraia e procure pessoas com energia positiva. E no mais mamãe, força na peruca. Só se sabe como vai ser a sua vez, vivendo.

Bom retorno.

Beijos

Renata Chiarello

Renata Chiarello

Oi, eu sou Renata Chiarello mãe da B. Uma mãe que alterna loucura e equilíbrio (afinal qual mãe não é assim, né?). Uma mãe que quer desvendar e mostrar o mundo. Uma mãe que descobre todos os dias, de diferentes formas, as maravilhas e dificuldades que a maternidade traz.

Related Posts

Comentários sobre este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *