CRIANÇA GAGA, COMO AJUDAR?

A gagueira atinge muitas crianças e é motivo de preconceito e bullying nas escolas

Fui professora de educação infantil assim que me formei na faculdade. Tive a oportunidade de conviver no ambiente escolar durante um tempinho e já naquela época pude perceber que muita das vezes as crianças com dificuldade na fala, principalmente as crianças gagas sofriam algum tipo de deboche. E as mães sempre apresentavam muita dúvida quanto ao tratamento e a forma de lidar com essa situação. Para nos ajudar com o tema, Dra Raquel Luzardo explica sobre a gagueira infantil.

 

A gagueira atinge cerca de 5% das crianças e é motivo de preconceito e bullying nas escolas. A intervenção fonoaudiológica precoce e o envolvimento da família e da escola são essenciais para melhorar a fluência, assim como a integração social e escolar.

No passado, a gagueira era entendida como um fenômeno de natureza psicológica. Manifestava-se na infância e acompanhava a pessoa até a morte. Em muitos momentos, transformava-se em motivo de chacota e aumentava o constrangimento.  Então saiba que a gagueira infantil tem tratamento e, quanto mais precoce a intervenção for iniciada, melhores serão os resultados.

Mas afinal, o que é gagueira infantil? A gagueira é um distúrbio da fluência em que acontecem quebras ou rupturas involuntárias no fluxo da fala e é caracterizada por repetições de sons, sílabas, palavras, prolongamentos, bloqueios e pausas. É uma desordem multidimensional – interação de fatores biológicos, psicológicos e sociais.

Problemas de fala costumam aparecer entre os dois e quatro anos. Nesse período, os pequenos começam a formar frases maiores e mais elaboradas e ocorre a aquisição de habilidades complexas e necessárias para organizar a linguagem e utilizá-la em situações sociais. É normal esquecer-se de algumas palavras, não apresentar total fluência na fala e demonstrar insegurança ao se expressar.

Uma das características da gagueira é a oscilação: ela não se apresenta em todas as ocasiões e sua intensidade varia. Na maioria dos casos, os bloqueios desaparecem, por exemplo, quando a criança canta, pois estão relacionados ao momento da comunicação, ou com alguma situação na qual o pequeno se sinta intimidado. Fatores como a pressão dos pais ou professores para falar corretamente, corrigindo ou mesmo recompensando quando a criança se expressa com fluência podem piorar o problema.

Diagnóstico

Em alguns casos, a gagueira tende a desaparecer espontaneamente ainda durante a infância. Entretanto, em outros ela pode se estabelecer e perdurar pela adolescência e idade adulta. É comum que a falta de fluência na fala acentue a timidez ou faça com que a pessoa deixe de se expressar para evitar a vergonha de tropeçar nas sílabas e passe a manifestar movimentos corporais involuntários relacionados à tensão e ao esforço para falar.

Como ajudar

É com atitudes simples que se pode ajudar a criança gaga, como falar de forma clara, dar tempo para que ela organize suas palavras, evitar fazer recomendações e conversar um pouco mais devagar articulando bem as palavras, oferecer um modelo lento de fala, com pausas, que possa ser imitado. Essas pequenas mudanças são, em geral, muito eficazes para deixar os pequenos mais tranquilos e conseguir que se expressem com mais fluência. E lembrar que a criança que gagueja  tem de ser tratada com carinho e afeto e ter o seu tempo de se expressar respeitado.

Raquel Luzardo, fonoaudióloga, especialista em linguagem, diretora da Clínica FONOterapia, atua há mais de 16 anos em atendimento infantil, orientação familiar e assessoria escolar. Casada com o Yan e mãe do Gabriel, acredita que a comunicação é a ferramenta para as relações acontecerem de forma plena e feliz!

 

Viu dá pra ajudar os pequenos que estão enfrentando a gagueira? Lembrando que procurar ajuda profissional é essencial.

Beijos

Renata Chiarello

Renata Chiarello

Oi, eu sou Renata Chiarello mãe da B. Uma mãe que alterna loucura e equilíbrio (afinal qual mãe não é assim, né?). Uma mãe que quer desvendar e mostrar o mundo. Uma mãe que descobre todos os dias, de diferentes formas, as maravilhas e dificuldades que a maternidade traz.

Related Posts

Comentários sobre este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *