Creche ou babá?

Com quem deixar os bebês pra retornar ao mercado de trabalho?Nossa, se tem uma pergunta que vem junto com a descoberta da gravidez, do sexo do bebê e de qual será o tipo de parto, é a tal : com quem você vai deixar seu filho quando voltar a trabalhar? A gente mal entendeu ainda que vai ter um serzinho novo na família e já começa a pensar e decidir o lado operacional da vida pós maternidade. É louco!!!!!

Mas o mais louco é descobrir que todas as certezas que tínhamos antes da chegada dos babies não servem de muita coisa …..kkkkk. Afinal, a gente ganha um filho e uma outra cabeça. Faz tipo um 360 e todas aquelas afirmações : “meu filho não vai fazer isso”, “minha sogra na minha casa nem pensar”, “vou deixar tranquila no integral”; passam a não fazer nenhum sentindo.

Deixar com babá ou levar pra creche é uma das dúvidas mais perturbadoras, até porque a gente não encontra (dadas as exigências de mãe de primeira viagem) uma super babá e uma super creche do dia pra noite. Tem pesquisa, busca por referência, adaptação, ajuste financeiro…envolve muita coisa. São detalhes que a gente desconhece antes de ser mãe.

Eu passei pelas duas experiências pra decidir, mas não posso negar que tive a facilidade de ter minha mãe supervisionando tudo enquanto eu estava fora, no trabalho. Isso fez sim toda diferença, eu me sentia segura e minha mãe podia ir coordenando tudo da melhor forma. E também vale ressaltar a sorte de ter encontrado uma pessoa muito carinhosa e cuidadosa com a Betina desde os 4 meses de vida dela até hoje (B ama a sua Dedé, como ela mesmo apelidou).

Quando Betina fez 1 ano eu experimentei a creche, afinal em algum momento minha mãe voltaria para casa dela… kkk. Apesar de ter adorado a creche, a adaptação tranquila, B tinha a questão da hipotonia, fazia fisioterapia e precisava de um pouco mais de atenção e estímulos individualizados. E como tudo em casa corria bem, resolvi depois de 2 meses tirá-la da creche e deixá-la com a babá e com a vovó. Só esse ano, com 3 anos, que a Betina entrou de fato na escolinha. Foi uma ótima escolha, deu tudo certo, graças a Deus. Mas é claro que sei que essa não é a realidade da maioria das famílias, tem muitas mães que não tem rede de apoio, família que more perto, enfim.

Minha dica é alinhar o que o coração diz com a realidade possível para a família. Se for creche desde o início, pesquisem as mais próximas de casa, que tenham flexibilidade e uma filosofia parecida com a  praticada dentro de casa. E se a opção for por contratar os serviços de uma babá, peça referências, tenha tempo pra treinar e fazer todos processos junto com ela e use o sexto sentido….dificilmente sexto sentido de mãe falha.

Beijos

Renata Chiarello

Renata Chiarello

Oi, eu sou Renata Chiarello mãe da B. Uma mãe que alterna loucura e equilíbrio (afinal qual mãe não é assim, né?). Uma mãe que quer desvendar e mostrar o mundo. Uma mãe que descobre todos os dias, de diferentes formas, as maravilhas e dificuldades que a maternidade traz.

Related Posts

Comentários sobre este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *