AMAMENTAÇÃO TRANQUILA

Como foi ter uma amamentação tranquila durante 6 meses minha filha.

Dentre os medos (olha que foram muitos devido as minha gravidez de risco) que passeavam pela minha cabeça durante a gravidez, a amamentação ganhava sim um espaço bem grande. Eu ouvia tanta coisa, tanta experiência ruim, dificíl e ao mesmo tempo tanta campanha a favor, com cenas lindas de mulheres amamentando que ficava até meio perturbada com isso.

Como minha gestação foi muito esperada e cercada de cuidados se eu ficasse paranóica com cada conselho ou dica eu com certeza iria pirar e então, decidi que buscaria as informações importantes e de fontes seguras, relaxaria e esperaria o nosso momento, meu e da Betina pra viver de fato a amamentação. Afinal, a gente só consegue saber vivendo…pra cada mãe acontece de um jeito.

E assim eu fiz….nada de preparação específica do bico do seio (moro em apartamento, impossível aquele solzinho recomendado), comprei pomada de lanolina (não precisei usar..ufa), meu marido trouxe com o enxoval a bomba da medela (maravilhosaaaaaa, usei muito…tem texto sobre ela AQUI) e fui pra maternidade com muito pensamento positivo  e muita vontade de tentar e fazer dar certo.

Assim que Betina nasceu, por falta de orientação, não tive minha “golden hour” mas assim que ela veio pro quarto já foi pro peito e não conseguimos de primeira, mas não desistimos. Uma madrugada inteira tentando ….ela puxava um pouquinho  aquele colostro (meu leite só desceu mesmo depois de 5 dias) e dormia. E eu tinha que ficar tentando mantê-la acordada, fazia carinho e até tirar a roupinha dela eu tirava. Confesso que o primeiro dia/noite foi bemmmmmm cansativo.

Com ajuda de uma enfermeira bem paciente, que me explicou sobre a pega correta as coisas começaram a melhorar e já na alta da maternidade a Betina estava fazendo a sucção com a boquinha na posição certinha, só faltava mesmo o leite descer por completo e ela conseguir mamar mais tempo sem adormecer.

Como mãe de primeira viagem, eu tinha muita dúvida, e contratei uma consultora de amamentação que veio até minha casa e calmamente me explicou tudo, viu a Betina mamando e fez  mais alguns ajustes  e seguimos com uma amamentação tranqüila… Betina ganhando peso direitinho mês a mês.

Nesse processo o acompanhamento da nossa pediatra foi também fundamental, ela em todas as consultas acompanhava o momento da amamentação, queria ver realmente como a Betina estava sugando o leitinho mágico da mamãe aqui…kkk.

Amamentei até os 6 meses da Betina, sendo 4 exclusivamente de leite materno, não precisamos das fórmulas nesses meses iniciais. Mas usamos mamadeiras com o meu leite desde o início, pois a Betina mamava com intervalos muito pequenos (de 1h30) e cheguei a ficar dias sem dormir e o cansaço começou a interferir na produção do meu leite. Pra amenizar a questão eu tirava na bomba pelo menos o referente a uma mamada e assim tinha umas horinhas pra tentar descansar.

Cada mãe tem uma história com a amamentação e embora na maioria dos casos ela seja difícil é importante saber que existe sim a possibilidade de viver uma amamentação tranquila. Eu poderia não ter tentado, ter me rendido ao medo, ao nervoso de pensar nas rachaduras e dor que muitas mães sentem e assim eu perderia um momento tão importante nas nossas vidas (minha e da Betina) e que, tirando a exaustão física que cheguei, foi sim tranqüilo. Acredito que uma amamentação tranqüila se faz com muitos ingredientes : informação, equipe especializada, rede de apoio, tentativa, positivismo,paciência, doação, sorte, amor e nada de culpa. O importante é se entregar a tentativa que pode não dar certo e o amor continuará sendo o mesmo…mas tente!!!!

 

Beijos

Renata Chiarello

Renata Chiarello

Oi, eu sou Renata Chiarello mãe da B. Uma mãe que alterna loucura e equilíbrio (afinal qual mãe não é assim, né?). Uma mãe que quer desvendar e mostrar o mundo. Uma mãe que descobre todos os dias, de diferentes formas, as maravilhas e dificuldades que a maternidade traz.

Related Posts

Comentários sobre este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *